Thursday, May 31, 2007

over and over and over and over and over

and

ela passa os crepúsculos em catálogos de quinquilharia

pensando como seria feliz se tivesse mais um roupeiro onde

arrumar a roupa arrumar a roupa arrumar a roupa arrumar-

-se arrumar se arrumar se arrumar se a marrar se a marrar se marrar

over

ela passa as tardes em queixumes de chocolate e café

pensando como seria feliz se não tivesse queixumes

às vezes não tem chocolates outras vezes não tem café
and

ela passa as manhãs em limpezas sísificas

pensando como seria feliz se as narinas da casa não espirrassem tanto pó

pensando como seria feliz se

pensando como seria feliz

pensando como seria

over

cata-estrofe

ela disse "isto é um escândalo! os jovens de hoje-em-dia não sabem que os ovos são para comer com talher, o talher de peixe!"
do outro lado do televisor, em formato pb, as bocas esfaimadas dos dias acercaram-se do talher que por esta altura já cheirava a peixe assado, sonhando com um ovo bem cozido.

Tuesday, May 29, 2007

where the head has been

ele ordenava meticulosamente os seus poemas
] por guerras

Monday, May 21, 2007

Tuesday, May 15, 2007

Jantar de nãos

To Miss M.


hoje não faço anos.
comemoro não anos . anos não comemoro
faço um jantar de nãos.
sem velas.
para me des lembrar quanto tempo não me falta
para desacordar
sem dizer adeus aos meus sapatos.

Monday, May 14, 2007

"Dá-me um começo", disse-lhe, "depois da noite transfigurada"
?missa em si
?si-belius ou o grande lobo da finlândia
?m-is-e-en-scène duma chávena partida
?mis-si-ssipi ou o grande engolidor de chamas
"esquece", disse-lhe, "dá-me antes um final"
?mi
?miss T. eriously.
?miss U.

"esquece", disse-lhe, "um ponto final fica just fine".

Friday, May 11, 2007

AS FESTAS DA MINHA ALDEIA


porque hoje é finalmente o último dia

Saturday, May 05, 2007

Sobre Literatura

ofereço colheradas de Gonçalo M. Tavares sobre literatura:

“Toda a literatura é assunto de letras paradas fazerem ou não as coisas do mundo moverem-se.

(…)

Mas agir é diferente. Agir envolve alfabetos fisiológicos, construções gramaticais, humanas, e não só, que estabelecem ligações matemáticas e respiratórias entre, por exemplo, a necessidade de um organismo se alimentar e os projectos que a cabeça de um homem pode ter.

(…)

as únicas acções existentes na escrita são o escrever e o apagar. Se eu escrever agora ele corre, a única acção que existiu nesta frase foi a acção de escrever: agora ele corre.

(…)

Toda a escrita, pelo menos a decente, ou seja: a magnífica, toda a escrita instala, é certo, uma promessa de movimento, de acção.

(…)

Mas se existem dois pontos é porque existe uma distância entre eles que permite a distinção. E uma promessa de vida imediatamente a seguir concretizada - como sucede na grande literatura - é ainda um ponto que se sabe separado do Grande Ponto: isto é: da vida clássica, do sítio onde os nomes não existem, mas existe a morte, a doença, o acidente absolutamente bruto que pode levar em definitivo aquele com quem hoje queríamos conversar sobre algo inútil.”

Gonçalo M. Tavares

A colher de Samuel Beckett Ed. Campo das Letras